(021) 99999-9999      contato@rogeriobarros.com.br    |   

A importância da massa muscular para saúde óssea e cardiovascular

A redução da massa muscular causada pelo envelhecimento ou pelo sedentarismo pode contribuir para o desenvolvimento de diversas doenças cardiovasculares. O contrário, porém, faz o coração sofrer menos com os esforços das tarefas cotidianas. A musculação é o melhor exercício para aumentar a força e a massa muscular, contribuindo também para a prevenção e controle de outros diversos fatores de risco cardiovasculares.

Além de proteger o coração, enrijecer os músculos e aumentar o condicionamento físico, os exercícios de musculação também são benéficos sobre a gordura corporal, e sobre os níveis de colesterol e triglicérides. Esses benefícios acontecem porque, durante o exercício, a circulação sanguínea aumenta e ativa o fluxo de sangue nas veias e artérias, evitando que gorduras (triglicérides e mau colesterol) se instalem e se acumulem nas paredes das artérias - o que também protege o coração de um dos fatores de risco mais perigosos: a aterosclerose.

Mas para conseguir essas vantagens é preciso suar a camisa. A comunidade médica recomenda pelo menos 150 minutos semanais de exercícios aeróbicos e duas vezes por semana daqueles que trabalham a resistência. Antes de começar qualquer atividade física, no entanto, fazer um check-up é essencial para saber o nível de condicionamento físico, especialmente para hipertensos e diabéticos, garantindo mais segurança e eficiência. Também é recomendado o acompanhamento de um especialista no esporte escolhido para orientar quanto à intensidade, o descanso e a alimentação.

Ganhando massa muscular

O tecido muscular apresenta uma atividade metabólica mais acelerada que a do tecido gorduroso. Portanto, quanto maior a massa muscular, mais acelerado será o metabolismo, impactando positivamente todas as funções fisiológicas: do sono à gordura corporal e controle do colesterol.

Todo mundo pode aumentar a massa muscular, mas não na mesma intensidade. Há diferenças genéticas que aumentam ou diminuem a propensão de ganhar músculos. Dependendo da disciplina de cada um, os resultados já começam a ser visíveis e permanecem se a pessoa continuar praticando os exercícios. Do contrário, ela volta a perder massa muscular muito rápido, pois os músculos não se mantêm inflados espontaneamente.

Fonte: Medical Site

05 de Março de 2020